quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dentinho confirma que será candidato a presidente da Federação Paulista de Futebol de Mesa

Agora é oficial. Saiu o nome do primeiro candidato a presidente da Federação Paulista de Futebol de Mesa. Trata-se de Ernandes Roberto Felício Junior, mais conhecido como Dentinho, botonista da Sociedade Esportiva Palmeiras. A chapa reúne grandes nomes do esporte no Estado e conta com o apoio irrestrito do atual presidente Jorge Farah. Ao BLOG DO VALINI, Dentinho falou sobre sua candidatura e destacou como suas principais bandeiras um grande projeto esportivo, além de enfatizar o plano de gestão.

BLOG: Por que resolveu se candidatar a presidência da FPFM?
Dentinho: Porque acredito que é possível elevar o esporte. Existem muitas a serem feitas e me considero preparado para organizar esse projeto.

BLOG: Foi o atual presidente Farah que pediu sua candidatura?
Dentinho: Me reúno com o Farah sempre, pois somos amigos. Minha candidatura é um projeto desde quando comecei o MBA em Gestão do Esporte. Quando surgiu o assunto, o Farah apoiou imediatamente.

BLOG: Pretende dar continuidade a forma como o Farah administra a Federação Paulista? O atual presidente terá participação em sua gestão?
Dentinho: Com relação a forma de administrar, teremos um projeto esportivo e dentro desse projeto, cada diretor e seus colaboradores precisam e terão autonomia para desenvolver seu trabalho. Em relação ao Farah, não só ele, mas todo o qualquer botonista que assim desejar poderá participar. Inclusive temos um projeto para estimular isso.

BLOG: Por que a escolha do Tadeu (atleta do Corinthians) para o cargo de vice-presidente?
Dentinho: A escolha do Tadeu é muito simples. Ele ama o esporte, conhece muito das questões do esporte, é meu amigo e de uma inteligência ímpar. Então, foi fácil.

BLOG: Quais são seus planos para a FPFM?
Dentinho: Temos muito trabalho a fazer. Quando eu falo em projeto esportivo, me refiro a todo esporte. Projetar desde a formação de novos botonistas, as estruturas de competições, os locais, nossos materiais, o Futmesa como marca. Enfim, já temos um plano de gestão.

BLOG: Qual a importância que os clubes e os botonistas do interior terão em sua administração?
Dentinho: Toda! Hoje tenho um conceito bem claro: só o próprio botonista pode alavancar o esporte. Nós gestores podemos indicar um caminho, se o botonista nos acompanhar e se dedicar, teremos resultados. Como disse anteriormente, temos um projeto que envolvi o botonista no processo de desenvolvimento.

BLOG: Pretende manter as fórmulas de disputa dos campeonatos por Equipes?
Dentinho: Se for eleitor, teremos a oportunidade de discutir a fórmula dos campeonatos, não apenas o Equipes, mas o Individual também. Temos muitas ideias, algumas integram sim o projeto esportivo.

BLOG: Acha justo uma mesma modalidade, de uma mesma Federação (como é o caso da Paulista), ter campeonatos diferentes, com seis, cinco e quatro botonistas, dependendo da série?
Dentinho: Essa questão de número de atletas diferentes, deve ser tratada com atenção. No projeto esportivo, deve existir uma linha de evolução para que se estimule a competição. É necessário que a estrutura funcione. A princípio posso dizer que temos alguns ajustes a fazer sim.

BLOG: Com relação aos Opens, pretende manter as séries por divisões (primeira, segunda, terceira, etc...) ou voltar ao que era antigamente (ouro, prata, bronze, etc...)?
Dentinho: A denominação das sérias é o menos importante hoje. Enquanto não tivermos uma estrutura de competição, muito bem definida, o nome não terá importância. Depois sim, bem estruturadas, o nome pode representar o ponto de vista de marketing, um questão relevante. Temos muito trabalhos nessa questão e posso garantir que vamos elevar o nível.

BLOG: O que precisa ser mudado no Futmesa paulista?
Dentinho: Olha, vejo que muitas coisas boas e importante foram feitas nos últimos anos. Evidente que precisamos mudar algumas e, principalmente, aperfeiçoar as boas que existem. A continuidade de bons projetos é determinante na conclusão de projetos, a grande parte das medidas necessárias tem um ciclo a longo prazo. Vejo um grande trabalho pela frente, visualizo um universo de possibilidades. Nosso esporte merece mais e mais todos os dias, é por ele que darei minha vida e meu suor.

BLOG: Você fala muito em projeto esportivo. O que pode detalhar sobre isso?
Dentinho: É porque realmente estamos pensando muito nisso. O projeto esportivo representa o todo. O projeto de formação deve estar atrelado a estrutura de competição, a de competição ao plano de marketing, o de marketing ao plano de expansão, o de expansão ao planejamento financeiro. O projeto esportivo é o todo, de uma maneira que exista uma sequência natural na gestão. O projeto é grande demais. Já levei dias para redigir e tenho mais quatro pessoas dissertando sobre outros temas. Quando finalizado, os representantes de clubes serão convidados para a apresentação. Isso deve acontecer na última semana de setembro, véspera da eleição.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Liga Jacareiense corre risco de acabar

Da esq. p/ dir.: Flavio Redondo, Edu Redondo, Boy e Gordo
naquela que pode ter sido a última partida da Liga Jacareiense
Crédito: espalhafatosfutmesa-elias.blogspot.com.br
No último dia 3 foi realizada a rodada derradeira da fase classificatória da Copa Estado de São Paulo (a divisão de acesso do Futebol de Mesa paulista). E em uma sala na Água Rasa, a Liga Jacareiense, enfrentou o Sete de Setembro naquele que pode ter sido a última partida da história do clube no Futmesa.
            O jogo, em que os times brigavam diretamente pela vaga na semifinal, chamou a atenção de muitos clubes e botonistas, uma vez que a tabela da competição marcava a partida para a cidade de Jacareí, mas o jogo acabou ocorrendo em São Paulo. Pior, o time visitante que precisava de uma vitória simples, sequer conseguiu reunir cinco botonistas para o confronto.
            Ao BLOG DO VALINI, a Federação Paulista de Futebol de Mesa, através de seu diretor técnico, Vinícius de Simoni, explicou o ocorrido. “O mando de jogo não foi invertido. A Liga Jacareiense teve o mando de jogo no Sete de Setembro. A única coisa que foi alterada foi o local de realização da partida”.
            Nas mesas, uma vitória incontestável da equipe da Capital por 32 a 18. Com a derrota, o time de Jacareí acabou eliminado e o representante da Liga, Edu Redondo, lamentou o ocorrido. “Perdemos a sala onde mandávamos nossos jogos e não tínhamos onde fazer o jogo. Infelizmente, coisas de Jacareí e de esporte amador”, explicou.
            A decepção pelo fato vivido pela equipe fez ainda o botonista repensar o futuro do Futmesa na cidade. “Acho que vou dar um tempo por aqui (Jacareí) e ver o que acontece pro ano que vem. Quem sabe não apareço em outro clube”, completou.

domingo, 3 de agosto de 2014

Definidos os semifinalistas da Copa Estado

Também foi disputada neste domingo (3), a última rodada da Primeira Fase da Copa Estado de São Paulo, a divisão de acesso do Futmesa paulista. Pelo Grupo B, o destaque ficou para o Cisplatina, que aplicou 42 a 08 em cima da equipe do Ocian. Porém, as duas equipes apenas cumpriam tabela.
            Nos jogos que valiam classificação, partidas extremamente equilibradas e jogos empolgantes. Na cidade de São Caetano, o Fundação recebeu o Clube 2004. E os visitantes levaram a melhor e venceram o time do ABC por 29 a 21. Com o resultado, a equipe do litoral não só garantiu a classificação, como também a primeira colocação do grupo. A outra vaga ficou com a Portuguesa Santista, que foi até a Barra Funda e derrotou o Nacional por 26 a 24.
            Já pelo Grupo A, o XV de Agosto, já classificado como primeiro da chave, recebeu e venceu por 28 a 22 a equipe da Riopardense. Cumprindo tabela, Botucatu foi até Jaboticabal e voltou com a vitória: 39 a 11. E no confronto direto, que valia vaga na semifinal, o Sete de Setembro enfrentou Jacareí (que teve o mando invertido) e garantiu a vaga ao vencer a partida por 32 a 18.
            Com esses resultados, os confrontos das semifinais ficaram definidos da seguinte forma:
XV de Agosto (1º do A) X Portuguesa Santista (2º do B) – jogo de ida dia 31 de agosto em Santos; volta dia 19 de outubro em Socorro;
Clube 2004 (1º do B) X Sete de Setembro (2º do A) – jogo de ida dia 31 de agosto em São Paulo; volta dia 19 de outubro em Santos.
            Os vencedores garantem o acesso para o Paulistão 2015 e decidem o título em duas partidas, com jogos marcados para os dias 9 e 30 de novembro, com a equipe de melhor campanha decidindo o confronto em seus domínios.

Líderes vencem e Paulistão conhece o primeiro rebaixado

Após a pausa em virtude da Copa do Mundo, o Campeonato Paulista de Futebol de Mesa teve sua penúltima rodada da Primeira Fase disputada neste domingo (2). Os líderes (Palmeiras e Meninos) mantiveram 100% de aproveitamento e duelam na última rodada para saber quem fica com a melhor campanha da fase classificatória. No Belenzinho, um Maria Zélia inspirado venceu o Círculo Militar e ficou muito perto da classificação. No duelo “caipira”, o Clube do Botão perdeu para o Flamengo e está matematicamente rebaixado. Já o time de Americana faz o confronto decisivo pela sobrevivência, na última rodada, em Bauru contra o Noroeste.
            No Palestra Itália, o atual campeão Palmeiras, não encontrou dificuldades e bateu o Noroeste por 53 a 19. As parciais foram: 07 X 05; 08 X 04; 10 X 02; 10 X 02; 07 X 05 e 11 X 01. A dupla palmeirense Quinho e Diney, com 11 pontos cada foram os destaques da partida. Vale destacar a grande atuação de Marcio Rangel pelo time de Bauru, que anotou 08 pontos e sofreu apenas uma derrota nas seis partidas disputadas.
            No Parque São Jorge, o Corinthians recebeu o Meninos e perdeu. A equipe do ABC somou sua sexta vitória consecutiva, ao anotar 42 a 30. Lê e Cássio, ambos do Meninos, com 09 pontos ganhos em 12 disputado, foram os principais pontuadores.
            Em Americana, Flamengo e Clube do Botão fizeram um duelo direto contra a degola. Melhor para o time da casa, que contou com o atual campeão do Interior (Ismael) e Fernando Hackmann, em manhã de muita inspiração. Pelos visitantes, o destaque foi Marcio Costa.
O jogo começou com os donos da casa abrindo uma grande vantagem com 12 a 00 na primeira rodada. Na rodada seguinte, nova vitória do Flamengo, desta vez por 08 a 04. Aí começou a reação campineira. Vitória por 07 a 05 na terceira rodada e 08 a 04 na rodada seguinte. Porém, o Flamengo decidiu o jogo na penúltima rodada, anotando 10 a 02 e repetindo o score na última rodada, fechando o placar em 49 a 23.
Com esse placar, o CDB não tem mais chances de permanecer na elite do Futmesa paulista. Já o Flamengo vai para Bauru na última rodada, para o confronto direto com o Noroeste. Quem vencer permanece na Primeira Divisão e quem perder, estará rebaixado. O time de Americana ainda terá a vantagem do empate.
Fechando a rodada, no Belenzinho, um jogo eletrizante e decidido apenas na campainha da última rodada, o Maria Zélia derrotou o Círculo Militar por 38 a 34. As parciais foram as seguintes: 07 X 05; 04 X 08; 06 X 06; 06 X 06; 09 X 03 e 06 X 06. João Pedro e Muratore, ambos do Maria Zélia, com 10 pontos ganhos em 12 disputados, foram os destaques do confronto.
Com isso, o time do Maria Zélia precisa apenas de uma vitória simples contra o já rebaixado Clube do Botão na última rodada, em casa, para se classificar. Já o Círculo Militar só avança para as semifinais, se vencer o Corinthians, jogo que será disputado no Ibirapuera.
A classificação do Paulistão de Futmesa é a seguinte:
1º Meninos (saldo positivo de 182) e Palmeiras (saldo positivo de 180): 18 pontos ganhos
3º Corinthians (saldo positivo de 116) e Maria Zélia (saldo positivo de 6): 10 pontos
5º Círculo Militar: 09 pontos
6º Flamengo (saldo negativo de 168) e Noroeste (saldo negativo de 170): 03 pontos
8º Clube do Botão: 00 ponto
            A última rodada da Primeira Fase acontece no dia 31 de agosto com os seguintes jogos: Palmeiras X Meninos; Círculo Militar X Corinthians; Maria Zélia X Clube do Botão e Noroeste X Flamengo.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Francisco Junior anuncia que será candidato a presidente da FPFM

Em janeiro de 2015, acontece a eleição para escolha do novo presidente da FPFM (Federação Paulista de Futebol de Mesa). Embora algumas pessoas já tenham demonstrado interesse em assumir a entidade, apenas um nome confirmou que vai concorrer ao cargo: Francisco Junior.
            Se dizendo cansado da inércia que se encontra a FPFM, um dos homens fortes do Círculo Militar pretende anunciar sua chapa no próximo mês de agosto e promete mudanças radicais no esporte.
            “Cansei de ser apenas pedra e resolvi ser vidraça. De tanto apontar os erros, agora vou dar as caras e corrigir. Um absurdo, por exemplo, o que aconteceu no último final de semana com a disputa da Taça São Paulo. Baita campeonato importante e não teve divulgação, cheio de erros primários, com regulamentos diferentes. Como alguém marca esse campeonato para concorrer com a Copa do Mundo?”, diz em tom de revolta.
            Segundo Francisco Junior, é preciso repensar o Futmesa paulista. “Os nossos campeonatos são pouco atrativos. Falta renovação no esporte. O poder está nas mãos de poucas pessoas, precisamos descentralizar isso. Veja só, já é terça-feira e o site da federação não tem uma linha falando sobre a Taça São Paulo, isso não pode acontecer!”, analisa.
            Com o slogan “Arregaçando as mangas porque a Federação não pode ser dirigida do sofá de casa”, Francisco Junior promete alterações significativas no esporte. “Primeiro vou delegar poderes, trazer gente competente, cada um na sua área e para isso já tenho nomes quase certos. Depois vamos mexer nos formatos dos campeonatos. Vou acabar com o Aspirantes, que acabou se tornando um campeonato chato. Vamos acoplar as equipes do B na Série A-2, sem direito ao acesso. Criarei um Conselho Arbitral que será responsável por ouvir a ideia dos clubes, organizar e colocar em debate. Vamos autorizar também os botonistas do Master a jogar em outra categoria”, explica.
            Outra mudança que o candidato pretende fazer, se eleito, é na denominação das séries nos torneios individuais. “Voltaremos a ter Ouro, Prata, Bronze e Extra e acabaremos com as divisões, pois isso valoriza mais a conquista de cada atleta”, finalizou.

sábado, 5 de julho de 2014

Taça São Paulo é disputada com regulamento diferente entre as séries

Ismael - Campeão da Taça SP do Interior
O que era para ser uma grande festa do Futebol de Mesa paulista, acabou sendo marcado pela bagunça que se tornou o regulamento da competição. O torneio que aconteceu neste sábado (5), deveria ser disputado, conforme consta no regulamento oficial da Federação Paulista de Futebol de Mesa (FPFM), por séries com 16 botonistas, onde os mesmos se enfrentariam em turno único, sagrando-se campeão aquele que anotasse mais pontos. Porém, não foi bem isso que aconteceu. Enquanto o Ginásio de Esportes de São Bernardo do Campo assistia uma série (4ª Divisão) sendo disputada por 8, isso mesmo, OITO botonistas, jogando em pontos corridos, em Campinas, na Taça São Paulo do Interior, 21 botonistas foram divididos em grupos na Primeira Fase, e o campeão foi definido no sistema mata-mata. Em contato com vários atletas que jogaram a Taça do Interior, a grande maioria repudiou a fórmula de disputa e afirmou que a tabela foi feita pela própria FPFM, sem consulta alguma com os participantes. “Ridículo. Pra que serve o ranking, se depois colocam todo mundo para jogar?”, questionou um dos botonistas.
            O BLOG DO VALINI conversou com o diretor técnico da FPFM, Vinícius de Simoni, que explicou as mudanças. “A FPFM determinou que a série do Interior fosse disputada com os 21 inscritos, evitando deixar gente de fora, para que todos joguem como temos feito nos últimos anos. A forma de disputa foi determinada pela direção técnica para atender esta quantidade de jogadores. O próprio regulamento diz: ‘Caso ocorra qualquer problema no formato do evento, é de exclusiva competência da Diretoria Técnica determinar a adaptação ou novo formato do torneio e possível rearranjo das séries necessárias’. Ano passado me lembro bem, fizemos séries menores no Interior para atender a todos. Esse ano fiemos uma série maior para atender a todos também. Em todas as formas de disputa existem aprovação por uns e reprovação por outros. A FPFM está sempre aberta a sugestões e melhorar cada vez mais”.

OS CAMPEÕES:
            Apesar dos absurdos registrados, a bolinha rolou e campeões foram conhecidos. Na Taça São Paulo – Capital, as quatro divisões foram disputadas, de forma inédita, em um mesmo local. E o atual campeão brasileiro Jefferson (Palmeiras), mais uma vez, mostrou um grande Futmesa e ficou com o título. Porém, a conquista foi dramática e só veio no saldo de gols, uma vez que terminou empatado com Farinha (Círculo Militar), ambos com 31 pontos, mas no saldo 18 a 14 pró Jefferson. Lê (Meninos) terminou em terceiro, com Albarello (Círculo Militar) em 4° e Diney (Palmeiras) na 5ª posição. Sérgio Ricardo (Meninos), que não compareceu e Rodrigo Ribeiro (Maria Zélia), que abandonou o torneio ainda no período da manhã, foram as ausências e com isso, a série foi disputada por 14 botonistas.
            Pela 2ª Divisão, o título ficou com Renan (Corinthians), que anotou 28 pontos em 15 jogos. Fabinho Israel (Nacional), com dois pontos a menos, foi o vice. Em 3º Lugar terminou Tadeu (Corinthians). O quatro foi Arthurzinho (Círculo Militar) e o quinto lugar ficou com Pietro Varoli (Círculo Militar).
            Na 3ª Divisão, também deu Corinthians. Valbono foi o grande campeão, ao somar 33 pontos em 15 partidas. Lopes (Corinthians) acabou em segundo, seguido por Marcio Lima (Maria Zélia) em 3º; Pedreira (Círculo Militar) em 4º e Telê (Corinthians) em 5º Lugar. O detalhe é que o artilheiro do dia, Sérgio Nenê (Maria Zélia), com 93 gols marcados, acabou apenas em 6º e ficou fora da premiação.
            Já na 4ª Divisão, com apenas oito botonistas, Galdeano (Corinthians) levou o troféu de forma invicta, com 100% de aproveitamento. Tubarão (Sete de Setembro) foi o segundo, com Marcio Muller (Nacional) na terceira posição, Bol (Meninos) em quarto e Festa (Maria Zélia) em 5º lugar.
            Na Taça Litoral, disputada na sede da Portuguesa Santista, 11 botonistas foram às mesas e o campeão foi Ruas (Portuguesa Santista). Guina (2004) ficou em segundo, com Cléo Junior (Ocian) em 3º, Diogo (Ocian) em 4º e Mário (Portuguesa Santista) na 5ª colocação.
            Por fim, na Taça do Interior, disputada na sede do Clube do Botão em Campinas, os 21 atletas foram divididos em três grupos de sete na Primeira Fase. Os 16 melhores avançaram para a Segunda Fase. E a partir daí teve início o mata-mata, que terminou com Ismael (Flamengo) faturando o caneco, ao derrotar Paulo Pinto (Botucatuense) na grande decisão por 5 a 4. O terceiro lugar ficou Golhv (Botucatuense), com Gustavo GB (Noroeste) em 4º e Ton (Noroeste) em 5 lugar.
Participantes da Taça SP Litoral

terça-feira, 1 de julho de 2014

Rodrigo Ribeiro e a arte da decoração

Neste final de semana os botonistas paulistas vão às mesas, em plena Copa do Mundo, para a disputa da tradicional Taça São Paulo de Futebol de Mesa. A competição deste ano terá uma novidade: na categoria Adulto, os jogadores dos times da Capital, estarão reunidos, em todas as séries, no Ginásio Poliesportivo de São Bernardo do Campo. O torneio também terá séries no interior (Campinas) e litoral (Santos).
            E já que o assunto é Futebol de Mesa, Copa do Mundo, competição, um detalhe que chama a atenção: a decoração dos times. E quem vem fazendo bonito na arte é Rodrigo Ribeiro, botonista do Maria Zélia, que transformou o hobby em “profissão”. Nesta entrevista ao BLOG DO VALINI, o atleta explica como começou no ramo, as técnicas, os pedidos inusitados, a forma de trabalho e muito mais. Confira!

BLOG: Como e por que você começou a decorar botões?
Rodrigo: Sempre decorei meus próprios times, exceto uma vez ou outra que pedia a decoração. Decorava por gosto e para que outras pessoas admirassem minhas decorações. Isso foi aumentando e como tenho uma grande variedade de times (troco muito meus times reservas), a divulgação e interesse de outras pessoas foram aumentando automaticamente e tomando grandes porporções.

BLOG: Como praticamente não existe mais “decadry” no mercado para se comprar, qual é o tipo de material que você utiliza para decorar?
Rodrigo: Comprei alguns lotes grandes de decadry, letraset e decalc. Tenho cartelas para anos de decorações. Foi um investimento muito alto que fiz, mas agora estou colhendo frutos e aumentando ainda mais minhas opções de decorações.

BLOG: Qual é o segredo para decorar? Existe alguma técnica? Quanto tempo leva para um time ficar pronto?
Rodrigo: Acho que o principal é gostar. Fazer por obrigação ou com tempo apertado, normalmente não fica bom. Faço para todos, como se fossem meus times. Adoro ver meu trabalho nas mesas de jogo. Tem técnica, mas como é um trabalho artesanal, cada um acha seu jeito de decorar. A melhor técnica é a paciência! O tempo é um pouco relativo, depende da decoração e do material do botão, que às vezes não dá muita aderência. Minha produção máxima foram 13 times, em um domingo, das 8 da manhã até a meia-noite. Hoje uma encomenda está com o prazo de entrega em 20 dias.

BLOG: Quais foram os pedidos mais inusitados que você recebeu de decoração?
Rodrigo: Bom, convenhamos que o pessoal do nosso meio seja um pouco maluco, inclusive eu... Decorações de times em si, que eu me recorde, nada em especial, mas em relação a tempo, tem uns absurdos. Decorar de um dia para outro, chegar mais cedo em um torneio para decorar e o cara jogar, são alguns exemplos que já aconteceram.

BLOG: Quais são os times mais solicitados?
Rodrigo: Os times solicitados são os do momento. Campeões atuais e seleções marcantes são disparados os mais procurados. Time específico mais procurado é o Barcelona/ESP. Do Brasil, os times paulistas predominam nos pedidos.

BLOG: Com quais tipos de letras e números você trabalha?
Rodrigo: Devido ao meu investimento, tenho letras e números dos padrões habituais. Os tamanhos 2,5mm e 4,0mm são os mais usados.

BLOG: Você faz decoração apenas para os botonistas de São Paulo ou para todo o Brasil?
Rodrigo: O meu trabalho começou fazendo somente para o meu uso, depois cresceu para os amigos de clube, cresceu para o Futmesa paulista e hoje decoro para todas as cidades. Tenho, aproximadamente, 20 entregas por semana, sendo que as encomendas são para todas as regiões do Brasil.

BLOG: Como consegue lidar com as decorações e sua vida pessoal?
Rodrigo: O jogador é ansioso. Por mais que dê um prazo de entrega, muitos ficam, dia a dia, perguntando sobre como está seu pedido e isso mais interferindo em produção e no meu dia a dia pessoal. Em qualquer lugar que vá, ficam notificações em meu celular e quando dá uma folguinha atendo a todos.

BLOG: Qual o preço médio de uma decoração? Existe inadimplência?
Rodrigo: Os preços variam conforme gosto e imaginação do cliente (botobista), a mais simples começa com R$ 25,00. Conforme o uso maior de cores, mais cara fica devido ao custo de material. Já sobre problemas com pagamento, infelizmente tive e ainda tenho. Demorei quatro meses para receber uma decoração de R$ 30,00 e várias situações que acabam desgastando este trabalho.

BLOG: A decoração traz novos negócios?
Rodrigo: Trabalho muito com revenda de times. Times novos e muito bem conservados, que as pessoas não se adaptam, e me procuram para achar um time “com a sua cara”. A pessoa personaliza seu time e me entrega o que não gostou. Também possuo um estoque de times para aqueles que procuram times com preços acessíveis, bonitos e conservados, assim, os “apressadinhos” têm uma nova opção para adquirir seus times.

BLOG: Para aqueles que se interessam, quais são os seus contatos?
Rodrigo: Podem me procurar pelo telefone (11) 98037-1046, pelo e-mail rodrigotribeiro@ig.com.br ou na minha página no Facebook.

Confira abaixo algumas decorações já feitas por Rodrigo Ribeiro: